Menu
Recent Post


Bicarbonato de sódio

Bicarbonato de sódio é um composto químico com a forma de NaHCO₃. É um sal composto por íons bicarbonato e íons sódio. O bicarbonato de sódio é cristalino, mas geralmente parece um pó fino

Efeitos colaterais do Bicarbonato de sódio

Efeitos colaterais que requerem atenção médica imediata
Junto com seus efeitos necessários, o bicarbonato de sódio pode causar alguns efeitos indesejados. Embora os seguintes efeitos colaterais ocorram muito raramente quando este medicamento é tomado como recomendado, eles podem ser mais propensos a ocorrer se for tomado: em grandes doses, ou por um longo período, ou por pacientes com doença renal.

Verifique com o seu médico o mais rápido possível se algum dos seguintes efeitos colaterais ocorrer ao tomar bicarbonato de sódio:

* Vontade frequente de urinar
* dor de cabeça (continuando)
* perda de apetite (continuação)
* humor ou mudanças mentais
* dor muscular ou contração
* náuseas ou vômitos
* nervosismo ou inquietação
* respiração lenta
* inchaço dos pés ou pernas inferiores
* gosto desagradável
* cansaço incomum ou fraqueza


Como antiácido, o bicarbonato de sódio, especialmente após o excesso de alimentos ou líquidos, pode causar liberação excessiva de gás (quando combinado com ácido gástrico). A mortalidade associada à ruptura gástrica é de até 65%.

Alguns efeitos colaterais do bicarbonato de sódio podem ocorrer que geralmente não precisam de atenção médica. Esses efeitos colaterais podem desaparecer durante o tratamento à medida que seu corpo se ajusta ao medicamento. Além disso, seu profissional de saúde pode ser capaz de lhe dizer sobre maneiras de prevenir ou reduzir alguns desses efeitos colaterais.

Verifique com seu profissional de saúde se algum dos seguintes efeitos colaterais continua ou é incômodo ou se você tem alguma dúvida sobre eles:

Menos comum

* Aumento da sede
* cólicas estomacais
* Gerenciamento de efeitos colaterais (informações gerais)
* Para profissionais de saúde
* Aplica-se ao bicarbonato de sódio: pó composto, solução intravenosa, comprimido oral


Metabólico
Os efeitos colaterais metabólicos incluíram alcalose metabólica,hipernatremia/hiperosmolaridade, hipocloroemia e hipokalemia. Esses efeitos têm sido associados à administração rápida ou prolongada. Os efeitos colaterais raramente incluem expansão do volume intravascular com hiporeninemia resultante e hipoaldosteronemia.[Ref]

A ingestão crônica de bicarbonato raramente pode causar expansão do volume intravascular com hiporeninemia resultante e hipoaldosteronemia. Nesta rara circunstância, o potássio do soro pode ser elevado.

Casos raros de abuso de bicarbonato de sódio têm sido associados com características da síndrome de Munchausen. Esses pacientes frequentemente apresentam uma alcalosemetabólica hipocloêmica inexplicável.

Hipernatremia pode causar retenção de água, ganho de peso e edema,o que pode ser importante em alguns pacientes com insuficiência cardíacacongestiva, insuficiência renal ou doença hepáticagrave.

Respiratório
A unidade respiratória pode ser suprimida após a administração de bicarbonato devido ao aumento da concentração venosa de C02. Sem ventilação adequada, a acidose sistêmica agravada poderia se desenvolver.[Ref]

Os efeitos colaterais respiratórios incluíram a unidade respiratória suprimida.[Ref]

Sistema nervoso
Os efeitos colaterais do sistema nervoso incluíram irritabilidade, tétano, estupor mental, coma e hemorragia intraventricular.[Ref]

A infusão rápida de bicarbonato de sódio hiperosmolar tem sido associada à hemorragia intraventricular na literatura pediátrica.

Irritabilidade e tétano têm sido associados com alcalose ou hipernatremia induzida por bicarbonato de sódio ou hipernatremia.

Devido à maior permeabilidade da barreira hematoencefálica ao hidrogênio do que ao bicarbonato, o pH do fluido cefalorraquidiano pode diminuir significativamente durante a administração de bicarbonato de sódio, o que pode causar estupor mental ou coma.[Ref]

Local
Os efeitos colaterais locais incluíram dor no local IV, irritação venosa e extravasação. Celulite,necrose tecidual, ulceração ou sloughing da pele possivelmente foram o resultado da extravasação. Recomenda-se uma taxa lenta de administração de uma solução adequadamente diluída em uma agulha e veia de furo grande é recomendada se for necessária a administração.[Ref]

Cardiovascular
Os efeitos colaterais cardiovasculares incluíram diminuição da contratilidade cardíaca possivelmente resultante da infusão de bicarbonato de sódio em pacientes com acidose grave.[Ref]
Experimentalmente, a administração de bicarbonato de sódio hipertônico intravenoso tem sido associada ao aumento da osmolalidade sérica, diminuição do cálcio sérico ionizado (que está associado à diminuição da contratilidade do miocárdio) e vasodilatação periférica. Alguns especialistas recomendam o monitoramento hemodinâmico invasivo em pacientes acidóticos antes da administração do bicarbonato.[Ref]

Gastrointestinal
Os efeitos colaterais gastrointestinais associados à administração oral raramente incluíram ruptura gástrica.

Renal
Alcalinização urinária a partir de bicarbonato pode causar um ensaio colorimétrico falsamente positivo para proteína.

Os efeitos colaterais renais raramente incluem "Falsa proteinúria".

LEIA TAMBÉM SOBRE: CÓLICA MENSTRUAL

Referências

1. Wu DJ, Mifune J, Taga K, Hifumi S, Takahashi Y, Yamashida S, Nishioka S, Murakami T, Tanaka T "Ataque anginal após uma injeção de bicarbonato de sódio e hidrocortisona." Jpn Heart J 31 (1990): 109-13

2. Hazard PB, Griffin JP "Bicarbonato de sódio no manejo da acidose sistêmica." South Med J 73 (1980): 1339-42,1348

3. "Abuso de bicarbonato de sódio em anorexia nervosa." J Clin Psychiatry 49 (1988): 168

4. "Informações sobre produtos. Bicarbonato de sódio (bicarbonato de sódio)." Astra EUA, Westborough, MA.

5. Cooper DJ, Walley KR, Wiggs BR, Russell JA "Bicarbonato não melhora hemodinâmica em pacientes gravemente doentes que têm acidose láctica." Ann Intern Med 112 (1990): 492-8

6. Linford SM, James HD "Abuso de bicarbonato de sódio: um relatório de caso." Frei J Psychiatry 149 (1986): 502-3

7. Thomas SH, Stone CK "Toxicidade aguda da ingestão de bicarbonato de sódio." Am J Emerg Med 12 (1994): 57-9

8. Oster JR, Perez GO, Rosen MS "Hipoaldosteronismo hiporenína após abuso crônico de bicarbonato de sódio." Arqui-interno Med 136 (1976): 1179-80

9. Arieff AI "Gerenciamento de acidose metabólica: atualização sobre a controvérsia do bicarbonato de sódio." J Crit Illn 8 (1993): 224-46

10. Griffith J, White P "Asma aguda precipitada por inalação acidental de grânulos de bicarbonato de sódio (Carbex)." Clin Radiol 49 (1994): 435

11. Okada H, Inoue T, Takahira S, Sugahara S, Nakamoto H, Suzuki H "Hipertensão diurna, apneia do sono e alcalose metabólica em um paciente com hemodiálise - resultado do abuso de bicarbonato de sódio." Transplante de Diálise de Nephrol 14 (1999): 452-4

12. Lou HC, Lassen NA, Fris-Hansen B "Diminuição do fluxo sanguíneo cerebral após administração de bicarbonato de sódio no recém-nascido angustiado." Acta Neurol Scand 57 (1978): 239-47

13. Papile LA, Burstein J, Burstein R, Koffler H, Koops B "Relacionamento de infusões de bicarbonato de sódio intravenoso e hemorragia intraventricular cerebral." J Pediatr 93 (1978): 834-6

14. Prakash P, Saxena S "Complicação da terapia de bicarbonato de sódio - um relatório de caso." Indiano J Pediatr 45 (1978): 277-8

15. Speer ME, Rudolph AJ "Calcificação de veias superficiais do couro cabeludo secundárias à infusão intravenosa de bicarbonato de sódio e cloreto de cálcio." Cutis 32 (1983): 65-6

16. Cooper DJ, Worthley LI "Efeitos hemodinâmicos adversos do bicarbonato de sódio na acidose metabólica." Cuidados Intensivos Med 13 (1987): 425-7

17. Rao RS, Graver ML, Urivetsky M, Scharf SM "Mecanismos de depressão miocárdica após injeção de bolus de bicarbonato de sódio". J Crit Care 9 (1994): 255-61

18. Bleske BE, Warren EW, Rice TL, Gilligan LJ, Tait AR "Efeito de bicarbonato de sódio de alta dose sobre os efeitos vasopressores da epinefrina durante a ressuscitação cardiopulmonar." Farmacoterapia 15 (1995): 660-4

19. Fordtran JS, Morawski SG, Santa Ana CA, Reitor FC, Jr "Produção de gás após reação de bicarbonato de sódio e ácido clorídrico". Gastroenterologia 87 (1984): 1014-21

20. Lazebnik N, Iellin A, Michowitz M "Ruptura espontânea do estômago normal após a ingestão de bicarbonato de sódio." J Clin Gastroenterol 8 (1986): 454-6

21. Brismar B, Strandberg A, Wiklund B "Ruptura estomacal após a ingestão de bicarbonato de sódio." Acta Chir Scand Suppl 530 (1986): 97-9

22. Downs NM, Stonebridge PA "Ruptura gástrica devido à ingestão excessiva de bicarbonato de sódio." Scott Med J 34 (1989): 534-5

23. Mastrangelo MR, Moore EW "Ruptura espontânea do estômago em um homem adulto saudável após a ingestão de bicarbonato de sódio." Ann Intern Med 101 (1984): 649-50



O rubim, conhecido também como macaé, erva das lavadeiras e estrela é uma planta medicinal que muitas vezes passa despercebida nos jardins. Originária da Ásia, adaptou-se bem ao solo brasileiro e cresce fácil em qualquer região.

Alguns a consideram planta daninha, pela facilidade de proliferação. Na planta nova, as folhas são arredondadas e depois se tornam estreladas e não passam de um metro e vinte de altura na fase adulta.

A espécie contém uma substância chamada flavonoide, considerada um anti-inflamatório natural. Além disso, tem ação cicatrizante e antioxidante, prevenindo o envelhecimento. O remédio, conservado em álcool, pode ser utilizado de forma tópica para picadas de insetos, inflamações e torções.




 



O Xarope dona Elza é um excelente composto de ervas naturais para combater gripes e resfriados. O resultado foi muito efetivo trazendo melhor imunidade aos consumidores.



A bebida que contém em sua composição substancias antioxidantes é o chá de hibisco. Uma planta pertencente à família botânica Malvaceae, o Hibiscus sabdariffa L., nativo dos continentes asiático e africano, mas que se adaptou as condições climáticas brasileiras, sendo cultivadas em jardins residenciais e nas diversas regiões do pais. Conhecida popularmente no Brasil como “vinagreira”, possui na sua composição flavonoides e ácidos orgânicos, que contribuem ativamente para a saúde e atuam de forma positiva no envelhecimento cutâneo (MUKHTAR, 2007).

Tratando-se de um poderoso antioxidante, o extrato aquoso obtido pela infusão das flores do hibisco, na forma de chá, possui em sua composição compostos fenólicos, como as antocianinas que são pigmentos vegetais, responsáveis por dar variedades de cores as plantas e frutos. São responsáveis nas flores por proteger contra a luz UV, agindo como um filtro e melhorando o processo da fotossíntese e de extrema importância na dieta humana, uma vez que atua na prevenção de doenças cardíacas, neoplasias, doenças neurodegenerativas e combate aos radicais livres, grande responsável pelo envelhecimento cutâneo (CASTENÃDE, 2009).

O presente estudo teve por objetivo levantar relatos bibliográficos acerca do uso do Hibisco sabdariffa L. e seus benefícios para a saúde, assim como as suas propriedades antioxidantes na prevenção do envelhecimento cutâneo. Foram utilizados dados levantados em artigos e bibliotecas virtuais em bases indexadas como Scielo, PubMed, LILACs, datados a partir de 2005, para a realização do estudo.

www.ervasquecuram.com.br


REFERÊNCIAS

Núcleo do conhecimento: Multidiciplinary Scientific Jornal



Marapuama: Para Que Serve?


São inúmeros os produtos da medicina alternativa encontrados no mercado, principalmente no que diz respeito a ervas e plantas. A Marapuama, também conhecida como muirapuama, muiratã e “Viagra da Amazônia”, por exemplo, é uma planta nativa da floresta amazônica, muito utilizada pelos índios nativos do Brasil. Essa planta, de nome científico Ptychopetalum uncinatum, possui muitos ácidos, como o lignocerico, campesterol, behenico, araquídidco, além de óleos essenciais e ésteres.
Historicamente, todas as partes da marapuama foram usadas de forma medicinal; contudo, as raízes e a casca são as partes mais consumidas. Há tempos que essa planta é utilizada na Amazônia por indígenas para inúmeros propósitos. A seguir, vamos conhecer para que serve a marapuama, entendendo como essa planta tem sido utilizada e quais são seus benefícios.


Para que serve

Um dos usos medicinais da marapuama é para o estímulo sexual, altamente indicada para o
tratamento de impotência sexual, disfunção erétil, ejaculação precoce, infertilidade masculina, falta de libido, frigidez, fadiga, disfunções intestinais, depressão, queda de cabelo, estresse, perda de memória, inchaço e celulite. Melhora, também, os sintomas da TPM e cólica menstrual.
Outros usos não tão comuns da marapuama é para a ansiedade, disenteria, diarreia, dor de garganta, reumatismo etc. Todos esses efeitos podem ser explicados pelo fato de que essa planta aumenta e melhora o fluxo sanguíneo para algumas áreas, principalmente a pélvica, auxiliando com os problemas sexuais de homens e mulheres. Além disso, melhora os aspectos físicos e psicológicos da libido e das funções sexuais.
Entretanto, como muitos medicamentos afrodisíacos e naturais, não há tantas comprovações científicas com relação a esses efeitos. Mesmo assim, existem alguns estudos que relatam que a marapuama pode aumentar naturalmente os níveis de testosterona do corpo, além de ajudar com a libido e outros efeitos ligados à sexualidade que já foram relatados acima.


Como tomar

Algumas das maneiras de como tomar a marapuama englobam a compressa e a infusão de chá. Na primeira forma, o chá fresco da marapuama é aplicado diretamente sobre as áreas que se
pretende estimular, lembrando que uma das funções dessa planta afrodisíaca é de melhorar a circulação sanguínea.
O chá em forma de infusão é outra maneira de se consumir a marapuama; deve-se colocar 2 colheres de sopa das cascas picadas em uma panela (essas cascas secas são encontradas em produtos naturais), acrescentando 1 litro de água. Deixe ferver por 20 minutos, tape e deixe amornar. Quando a temperatura estiver boa para o consumo, coe e beba o chá de 2 a 3 vezes ao dia, ou se preferir utilize a marapuama em pó, que com duas colheres ao dia nos sucos, batidas ou refeições gera uma praticidade bem maior.

Benefícios

Além de todos os benefícios já citados, podemos acrescentar que, por ser um medicamento natural, as chances de ocorrer reações alérgicas ou efeitos colaterais à marapuama são menores. Além disso, podemos incluir que a marapuama é um excelente tônico neuromuscular, atuando contra a debilidade, fraquezas, perda de memória, fadiga e mal estar. Age de forma eficaz em pessoas estressadas e com problemas de depressão.
Um estudo clínico feito com 262 pacientes que sofrem com a falta de desejo e outros problemas sexuais demonstra que a marapuama é eficaz em muitos desses casos. Em duas semanas, com uma dose diária de 1g a 1,5g do extrato da planta, 62% dos pacientes com problemas na libido comprovaram que o tratamento, de fato, trouxe bons efeitos.
Por melhorar a circulação, a marapuama é altamente indicada no tratamento da celulite.

Efeitos colaterais

Mesmo com tantos benefícios, a marapuama não é indicada para grávidas, crianças, idosos e para pessoas com hipertensão e problemas cardíacos. Os efeitos colaterais que podem ser sentidos devido ao uso da marapuama são tremor das mãos, palpitações e ejaculação precoce.
É altamente recomendado que o tratamento com essa planta seja feito sob orientação médica, que irá avaliar a melhor dose e frequência para o consumo de marapuama.







Um estudo realizado pela ESALQ da USP de Piracicaba com a pesquisadora Maressa Caldeira , a casca da romã pode prevenir ou reduzir o risco de doenças crônicas não transmissíveis como por exemplo a doença de Alzheimer.
A casca da romã é uma fonte de compostos bioativos
O estudo foi realizado com animais e os resultados promoveram uma melhoria da memória e também uma manutenção da mesma em relação aos animais que não consumiam esta casca. houve também uma redução no índice de inflamação de stress oxidativo e marcadores da doença de Alzheimer.
O estudo foi realizado através do extrato, por não possuir um gosto atrativo aos animais

Outros benefícios da casca de romã

Segundo o livro Saúde pelas plantas, as cascas são utilizadas em chás contra a diarreia
Algumas pessoas, socam, trituram estas cascas internas, cobrindo-as com água fria e tomam pela manhã em jejum para acabar com vermes intestinais.
A casca da romã mostrou eficiência em infecções de garganta






 

Folha de goiabeira

Para as pessoas que:
  • Inflamação no intestino delgado
  • Uso excessivo de bebidas alcóolicas
  • Excessos alimentares
  • Ação de germes
Os sintomas mais comuns são diarréia carregada de muco esverdeado, gases intestinais, evacuação sangrenta e debilidade geral
A inflamação é muito perigosa, principalmente para crianças. Por isso deve ser tratada imediatamente

Chá da folha de goiabeira como fazer

30 gramas de folhas de goiabeira
1 litro de água
Após esquentar a água (nunca ferver), coloque as ervas e tampe o copo, deixando de 15 a 30 minutos
Tome 4 xícaras ao dia

Goiaba

Rica em muitas vitaminas e minerais como em vitamina C, ela ajuda a melhorar o sistema imunológico e auxilia na absorção do ferro
É também um antioxidante natural, que ajuda a combater o envelhecimento precoce
Fonte de fibras que ajudam aumentar a saciedade diminuindo a fome
Ajuda o sistema digestivo, impedindo a prisão de ventre
Para os diabéticos ela possui baixo índice glicêmico
Potássio que traz a saúde do coração e sistema cardiovascular



insônia

Insônia sintomas:

A causa da insônia é bem variada assim como resultado de preocupações, alterações emocionais, desconforto causado pela temperatura do ambiente ou colchões e travesseiros inadequados.
Tensão e ansiedade. Sem dúvida, a maior causa de insônia é a tensão. As pessoas deitam na cama com a mente cheia de problemas, lamentando o passado, preocupadas com contas, família, etc.
Doenças: Artrite, dor crônica nas costas, dor de cabeça em virtude do nervosismo, doenças de disco degenerativas, tendinite ou qualquer outra condição de dor.
Cafeína: A quantidade exagerada de alimentos que contem cafeína como: Cafés, refrigerantes, chocolates, chá mate, cha preto, entre outros, aumentam a adrenalina dos hormônios do estresse e o cortisol. Ela pode permanecer no corpo por até 20 horas.
Cigarro e álcool: O álcool pode interromper as fases do sono, fazendo alguém dormir levemente e acordar sentindo-se menos revigorado. A Nicotina do cigarro é estimulante e libera a adrenalina
Medicamentos: Emagrecedores ou supressores de apetite, descongestionantes, prednisona, remédios para asma(teofilina), tireoide, reposição hormonal e pressão arterial, além de determinados antidepressivos e alguns analgésicos podem causar insônia.
Alimentos: Açúcar em excesso, sorvete, bolo, pipoca, se ingeridos a noite, eles estimulam a liberação excessiva de insulina no pâncreas resultando em uma ativação das glândulas adrenais para produzir mais adrenalina e cortisol. De repente, você desperta sentindo fome novamente.
Dietas de baixo carboidrato: Estas dietas também podem criar uma reação de baixo nível de açúcar no sangue, fazendo com que você acorde no meio da noite. O ideal é procurar uma dieta correta com seu nutricionista.
Exercício: Evitar fazer exercícios 3 horas antes do sono, visto que eles elevam o nível de hormônio do estresse. Procure fazer os exercícios durante o dia.
Ambiente: Barulhos, luzes de celular, jogos ou qualquer outro tipo de claridade interrompem os padrões de sono. É aconselhável à leitura de um livro, duas horas antes de dormir

Como acabar com a insônia?

Além de todas as dicas acima, citaremos algumas referencias de plantas, ervas, frutas e hortaliças para lhe ajudar acabar com a insônia:

HORTALIÇAS
Alface: Chá com folhas e talos (40g para 1 litro de água) Tomá-lo frio, 250ml 5 vezes ao dia. à noite, aquecer o chá, adoçá-lo com mel de abelhas e tomar 1 xícara.
Alho: Amassar 1 dente de alho e deixar de molho em 250 ml de água durante 6 horas. Tomar a água de alho durante o dia, dividida em 2 porções.
Cebola: Chá (50g para 1 litro de água) . Tomar 1 xícara, 1 hora antes de deitar

FRUTAS:
Laranja: Chá das folhas da laranjeira (20g para 1 litro de água). Tomar 5 xícaras ao dia, adoçado com mel de abelhas
Maracujá: Suco natural. Tomar 250 ml 6 vezes ao dia, adoçado com mel de abelhas.

INSÔNIA O QUE FAZER?

Composto: 1 colher (sopa) de lúpulo, 1 colher (sopa) de maracujá(passiflora), 1 colher (sopa) de melissa 3 xícaras de água fervendo. Junte as ervas e faça a infusão (sempre deixando o recipiente tampado). Após esfriar, coe e tome 3 vezes no período tarde/noite.

Composto: 1 colher (sopa) de tília, 1 colher (sopa) de cidreira, 1/2 colher (sopa) de raiz de valeriana 3 xícaras de água fervendo. Junte as ervas e faça a infusão (sempre deixando o recipiente tampado). Após esfriar, coe e tome 3 vezes no período tarde/noite.

Composto: 1 colher (sopa) de manjerona, 1 colher (sopa) de flores de laranjeira ou limoeiro, 1 colher (sopa) de gatária 3 xícaras de água fervendo. Junte as ervas e faça a infusão (sempre deixando o recipiente tampado). Após esfriar, coe e tome 3 vezes no período tarde/noite.

Geoterapia: Compressa de argila na região da nuca, com duração de 1 hora.

Hidroterapia:
* Fricção com toalha molhada, pela manhã ao despertar
* Ducha quente na região da nuca, à noite antes de deitar-se,
* Banho escalda-pés com duração de 20 minutos

EXERCÍCIOS
Natação, andar a pé tranquilamente, ioga e alongamentos, desde que respeite as 3 horas antes do sono. Faça os exercícios durante o dia

Clique aqui e conheça a fórmula secreta do xarope mais vendido no interior de São Paulo. Eficaz contra gripes e resfriados


REFERÊNCIAS
COLBERT, Dr Don; COLBERT, Mary. Os sete pilares da saúde. 1. ed. Rio de Janeiro: Graça Editorial, 2008.
BIAZZI, Eliza. Saúde pelas plantas. 25. ed. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 1998.
SPETHMANN, Carlos Nascimento. Medicina alternativa de a a z. 6. ed. Uberlandia: Natureza, 2003.

Alho beneficios

O alho é considerado uma planta hortense, da família das Liliáceas cujo uso tradicional é nas refeições, e com propriedades medicinais.
Seus resultados são observados desde a medicina primitiva grega, hindu e egípcia, onde lhe é atribuído efeito corretor sobre gases abdominais e flatulência gástrica, causadora de sintomas que incomodam bastante.
O alho pode ter fator curativo para diversas outras propriedades medicinais e nutricionais. Vejamos abaixo algumas das funções principais deste poderoso remédio natural.

Alho é bom para quê?

O alho é uma poderosa planta que ajuda na imunidade, prevenção visto que o mesmo possui um fator curativo para algumas enfermidades como:

  • Bronquites, Tuberculose, Afecções catarrais, pneumonia, asma, resfriados e gripes: Faz com que os escarros diminuam e percam o seu aspecto purulento, combatendo a tosse e provoca uma melhora geral no estado enfermo e diminui a dificuldade de respiração causada por uma bronquite crônica ou na asma.
  • Pressão alta e varizes: No caso da pressão alta o alho atua como hipotensor
  • Prisão de ventre, digestão, vermes: Amassando o alho com azeite de oliva ele fará a regularização do peristaltismo. Outrossim, estimula a secreção dos sucos gástricos e intestinais, favorecendo a digestão. Combate as toxinas intestinais e favorece a expulsão dos vermes, mesmo a solitária.
  • Fonte de cálcio, fósforo e vitamina B.
  • Antisséptico, carminativo, depurativo do sangue, diurético, emoliente, febrífugo e tônico: Muito útil nas febres intermitentes
  • Ácido úrico, cálculos, cólera, diabete melito, difteria, enfermidades do fígado, dos rins e da bexiga, esgotamento, hidropisia, insônia, paludismo, sífilis, tito, úlceras: Comumente é utilizado como elemento auxiliar na terapia dietética
  • Úlceras purulentas: Tanto o Dr. A. D. Cock como o Dr. V. Gabriel, médicos ingleses, empregavam há anos, com êxito, o suco de alho no tratamento de úlceras purulentas. Duas lavagens diárias com o suco de alho diluído em água destilada produz uma melhora notável já dentro das primeiras 48 horas.
  • Dor de ouvido: Para acalmar a dor de ouvido, aplica-se algodão embebido em azeite fervido com alho

Mas e o cheiro forte do alho? Como amenizar este gosto e cheiro forte?

O gosto pode ser eliminado tomando-se algumas gotas de azeite de raiz de angélica e o cheiro pode ser combatido comendo salsa crua.
Recomenda-se também a mastigação de boa quantidade de nozes em conjunto com o alho.
O suco de limão, misturado com igual quantidade de água, tomado meia hora após a ingestão do alho, também lhe destrói o odor. O mesmo suco também serve para desodorizar as mãos.

Contra-indicações do uso do alho

As pessoas que apresentarem reações alérgicas, evitem o contato direto com a pele, utilizando luvas.
Os que sofrem de hipotensão, devem ser parmoniosos no uso do alho, uma vez que este provoca a queda de pressão.
As lactantes devem evitar o uso liberal do alho, de vez que pode provocar cólicas no ventre da lactente, segundo observação de caráter popular.
Em DOSES MUITO ELEVADAS, o alho produz dor de cabeça, dor no estomago, dor nos rins, cólicas, vômitos, diarreia, tontura.

 Comprar Óleo de Alho em cápsulas

REFERÊNCIAS

BALBACH, Alfons; BOARIM, Daniel S.F. As hortaliças na medicina doméstica: 2 ed. Itaquaquecetuba: Editora Vida Plena, 1993

A erva-de-são-joão ou hipérico tem o nome científico Hypericum perforatum e pertence à família Guttiferae. Durante séculos a planta tem tido empregada como laxante, diuréticos, antitérmico, cicatrizante, nevralgias, insônias, dores de cabeça, gastrite, hemorroidas, tétano, doenças mentais e até mesmo para alguns tipos de câncer. Contudo, seu principal e mais efetivo benefício é no combate a depressão.

Erva de são joão é bom para quê

  • Ação antidepressiva: a erva de São João age como um antidepressivo natural, sendo considerada eficaz ao colaborar para o tratamento da depressão leve e moderada. Um estudo apontou que a planta também pode melhorar quadros de ansiedade e insônia, dois fatores ligados à depressão. A ação antidepressiva da planta parece estar associada aos sistemas noradrenérgicos, dopaminérgicos e serotoninérgicos
  • Propriedade antioxidante: se deve à presença de compostos fenólicos, que atuam no combate aos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular precoce e maior risco para doenças, como o câncer.
  • Ajuda na cicatrização: o extrato de erva de São João colabora para a coagulação do sangue e cria uma camada protetora na pele, diminuindo a dor e a irritação local.
  • Ação antimicrobiana e antifúngica: estudos indicam a propriedade antimicrobiana e antifúngica da erva de São João, em especial a do seu extrato, que pode inibir o crescimento de bactérias e fungos.

Combate a depressão

A erva de São João ajuda a combater a depressão: É muito utilizada no tratamento da depressão leve e moderada. Na Alemanha, ela é o antidepressivo mais utilizado, representando mais 25% dos antidepressivos prescritos. A maioria dos pesquisadores acredita que as hipericinas presentes na planta sejam responsáveis pela atividade antidepressiva, mas o mecanismo ainda não é totalmente conhecido. Contudo, a planta só deve ser utilizada após orientação médica, pois ela possui uma série de efeitos colaterais e pode causar problemas de saúde.

Contraindicações da Erva de São João

NUNCA MISTURE ou combine a Erva de São João com antidepressivos, estatinas, anticoagulantes e contraceptivos, pois o efeito colateral está associado a episódios de tremores, sangramentos, desmaios e problemas cardíacos. A erva de São João é contraindicada em casos graves de depressão Grávidas e mulheres amamentando não devem usar a erva de São João sem a orientação de um médico. Evite sol excessivo com o uso da erva-de-são-joão, pois poderão aparecer manchas na pele