Menu

Marapuama: Para Que Serve, Benefícios e Efeitos Colaterais


Marapuama: Para Que Serve?


São inúmeros os produtos da medicina alternativa encontrados no mercado, principalmente no que diz respeito a ervas e plantas. A Marapuama, também conhecida como muirapuama, muiratã e “Viagra da Amazônia”, por exemplo, é uma planta nativa da floresta amazônica, muito utilizada pelos índios nativos do Brasil. Essa planta, de nome científico Ptychopetalum uncinatum, possui muitos ácidos, como o lignocerico, campesterol, behenico, araquídidco, além de óleos essenciais e ésteres.
Historicamente, todas as partes da marapuama foram usadas de forma medicinal; contudo, as raízes e a casca são as partes mais consumidas. Há tempos que essa planta é utilizada na Amazônia por indígenas para inúmeros propósitos. A seguir, vamos conhecer para que serve a marapuama, entendendo como essa planta tem sido utilizada e quais são seus benefícios.


Para que serve

Um dos usos medicinais da marapuama é para o estímulo sexual, altamente indicada para o
tratamento de impotência sexual, disfunção erétil, ejaculação precoce, infertilidade masculina, falta de libido, frigidez, fadiga, disfunções intestinais, depressão, queda de cabelo, estresse, perda de memória, inchaço e celulite. Melhora, também, os sintomas da TPM e cólica menstrual.
Outros usos não tão comuns da marapuama é para a ansiedade, disenteria, diarreia, dor de garganta, reumatismo etc. Todos esses efeitos podem ser explicados pelo fato de que essa planta aumenta e melhora o fluxo sanguíneo para algumas áreas, principalmente a pélvica, auxiliando com os problemas sexuais de homens e mulheres. Além disso, melhora os aspectos físicos e psicológicos da libido e das funções sexuais.
Entretanto, como muitos medicamentos afrodisíacos e naturais, não há tantas comprovações científicas com relação a esses efeitos. Mesmo assim, existem alguns estudos que relatam que a marapuama pode aumentar naturalmente os níveis de testosterona do corpo, além de ajudar com a libido e outros efeitos ligados à sexualidade que já foram relatados acima.


Como tomar

Algumas das maneiras de como tomar a marapuama englobam a compressa e a infusão de chá. Na primeira forma, o chá fresco da marapuama é aplicado diretamente sobre as áreas que se
pretende estimular, lembrando que uma das funções dessa planta afrodisíaca é de melhorar a circulação sanguínea.
O chá em forma de infusão é outra maneira de se consumir a marapuama; deve-se colocar 2 colheres de sopa das cascas picadas em uma panela (essas cascas secas são encontradas em produtos naturais), acrescentando 1 litro de água. Deixe ferver por 20 minutos, tape e deixe amornar. Quando a temperatura estiver boa para o consumo, coe e beba o chá de 2 a 3 vezes ao dia, ou se preferir utilize a marapuama em pó, que com duas colheres ao dia nos sucos, batidas ou refeições gera uma praticidade bem maior.

Benefícios

Além de todos os benefícios já citados, podemos acrescentar que, por ser um medicamento natural, as chances de ocorrer reações alérgicas ou efeitos colaterais à marapuama são menores. Além disso, podemos incluir que a marapuama é um excelente tônico neuromuscular, atuando contra a debilidade, fraquezas, perda de memória, fadiga e mal estar. Age de forma eficaz em pessoas estressadas e com problemas de depressão.
Um estudo clínico feito com 262 pacientes que sofrem com a falta de desejo e outros problemas sexuais demonstra que a marapuama é eficaz em muitos desses casos. Em duas semanas, com uma dose diária de 1g a 1,5g do extrato da planta, 62% dos pacientes com problemas na libido comprovaram que o tratamento, de fato, trouxe bons efeitos.
Por melhorar a circulação, a marapuama é altamente indicada no tratamento da celulite.

Efeitos colaterais

Mesmo com tantos benefícios, a marapuama não é indicada para grávidas, crianças, idosos e para pessoas com hipertensão e problemas cardíacos. Os efeitos colaterais que podem ser sentidos devido ao uso da marapuama são tremor das mãos, palpitações e ejaculação precoce.
É altamente recomendado que o tratamento com essa planta seja feito sob orientação médica, que irá avaliar a melhor dose e frequência para o consumo de marapuama.